Plano de saúde e o câncer de próstata

Plano de saúde e o câncer de próstata

Você sabia que maioria dos homens deixam para contratar um plano de saúde somente quando diagnosticados com alguma doença grave, como por exemplo um câncer de próstata? 

Você sabia que em função disso a operadora comumente não aceita a contratação?

Você sabia que há casos em que mesmo quando conseguem aceitação pela operadora/seguradora, são imputadores carência de 24 meses para início dos tratamentos?

Tanto as operadoras de planos de saúde quanto o SUS devem custear integralmente o tratamento oncológico (cirurgias e tudo o que for inerente ao referido tratamento), conforme previsão dada pela lei 9.656/98.

Em caso de doença diagnosticada na pré-contratação, a operadora pode limitar alguns tratamentos e exames por até dois anos, mesmo que eles estejam previstos em contrato. A carência para doenças preexistente é reconhecida pela ANS, artigo 11 da referida lei.

Mas o que a lei prevê sobre esses casos?

🚹 Os exames iniciais que são fundamentais para o diagnóstico do câncer de próstata devem ser cobertos pela operadora. São eles: o exame de sangue, por meio do Antígeno Prostático Específico (PSA), e o exame de toque retal. 

🚹 Alguns dos medicamentos para o tratamento devem ser cedidos pela operadora.

🚹 No caso de Cirurgia de Prostatectomia Radical pela via laparoscópica robótica; Radioterapia de Intensidade Modulada (IMRT); Medicamento oral Zytiga, a lei não prevê oficialmente, mas orienta-se buscar apoio judicial.  

Qual a melhor forma de resolver este impasse?

🚹 Escolhendo bem seu corretor de seguros para que ele indique a operadora ideal para casos como este, se já existe o diagnóstico.

🚹 Se não há diagnóstico, mas o paciente já tem mais de 40 anos e casos de câncer na família, contratar um plano de saúde é fundamental para que seja trabalhado o processo preventivo.

🚹 O câncer da próstata não apresenta nenhum sintoma grave nas fases iniciais, apenas dificuldade de urinar, necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite. Por não dar sinais, a taxa de mortalidade alta. Em fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal. A prevenção é o caminho!

Podemos auxiliar na escolha do melhor plano. Fale com a Solum Corretora.

Compartilhe essa publicação